O ciclismo “indoor” em Portugal tem conquistado adeptos, quer através da sua prática no ginásio, quer através da compra de bicicletas elípticas para treinar em casa. Alguns “puristas” continuam a não considerar que esta variante possa substituir o ciclismo na estrada ou na pista de BTT, mas para quem procura praticar exercício e manter a forma, é uma boa alternativa. Vejamos alguns benefícios do ciclismo “indoor” em Portugal:

Treino acompanhado por um monitor

Fazer ciclismo no ginásio permite que o seu treino possa ser acompanhado por um profissional. O instrutor poderá definir consigo um plano de treino, analisar os progressos feitos ou sugerir mudanças. Por exemplo, depois do treino de “endurance”, simulando longas distâncias, talvez seja hora de experimentar algumas tiradas “sprint” para medir a frequência cardíaca e a velocidade máxima que o contador da bicicleta elíptica poderá analisar. Se surgirem dores nas costas, o instrutor poderá analisar de imediato o grau de gravidade da situação e encaminhá-lo para um especialista em saúde.

Treino em grupo

Claro que também é possível fazer bicicleta em grupo na estrada, mas no ginásio pode praticar bicicleta com um amigo ou fazer uma sessão de grupo orientada por um monitor de ginásio, mantendo sempre os seus objetivos em termos de treino e de “fitness”. Pedalando lado a lado com um amigo, tem a possibilidade de fazer um treino totalmente distinto, o que seria mais difícil na estrada, onde teriam de seguir ao mesmo ritmo para continuarem juntos.

BenefíciosBarbell_Group_Fitness_Class físicos

Na sequência do ponto anterior, os benefícios em termos de “fitness” são os mesmos que se verificariam pedalando no exterior: benefícios cardiovasculares (como diminuição da pressão arterial e do colesterol), tonificação dos músculos, perda de calorias e diminuição dos níveis de stresse.

Segurança

Pedalar dentro de casa ou no ginásio garante segurança total contra os riscos da estrada. Apesar do progresso que se tem feito, quer em termos de infraestruturas, quer de mentalidade, as estradas portugueses ainda são perigosas para os ciclistas, que encontram muitos automobilistas não sensibilizados para os utilizadores de bicicletas e estradas sem preparação para os acolher.